Duas alegrias a dividir, de uma só vez, sobre meu livro “A Lei da Selva — Estratégias dos Militares na Guerrilha do Araguaia. Primeiro meu irmão Rodrigo encontrou 40 exemplares esquecidos no armário da garagem do apartamento do meu pai. Há um ano a obra estava esgotada. Já não está mais. Hoje o Facebook me trás uma lembrança de há 8 anos. Eis:

Meu livro A Lei da Selva foi reeditado e está distribuído nas principais livrarias e aeroportos do país. Mais: o preço subiu. Ontem à noite, passando pela livraria do Aeroporto de Brasília, avistei vários exemplares expostos em destaque na prateleira. O mesmo na livraria do Santos Dumont, RJ.

Esse livro já me deu muitas alegrias. Quando lançado, todos os bons amigos foram prestigiar; 400 autógrafos numa só noite. Continuo grato a cada um. Resenhas em quase todos os jornais e revistas, agraciado no prêmio Herzog e finalista do Jabuti… Meu coração quase explodiu quando entrei na Fnac da Avenida Paulista e encontrei na porta de entrada uma pilha de quase 2 metros de altura do livro, em espiral.

Foi nessa época que a editora Geração foi vendida à Ediouro e uns imbecis recolheram todo acervo da Geração para inventário. Quando o livro voltou às livrarias, quase um ano depois, ficou nas prateleiras de História, um ou dois exemplares por loja, guardado de perfil. Contudo, jamais entrou em liquidação ou saiu do catálogo. Sempre agradeci aos leitores por ter virado um livro referência.

E agora vem mais essa alegria. Seis anos depois do lançamento, a Geração (de volta ao mercado, livre dos babacas da Ediouro) conseguindo colocar nova edição do livro em destaque nas prateleiras das grandes livrarias e aeroportos. Assim, agradeço a cada amigo que me ajudou (muiiiiitos) e leitores que mantiveram o livro aceso.

Acrescento, por fim, que o livro foi adquirido e indexado no catálogo mundial de obras referência (WorldCat) por 22 universidades estrangeiras, tais como Harvard, Yale, Princeton, Stanford, no EUA, Cambridge – Inglaterra, Toronto – Canadá, além do Instituto de Altos Estudos Políticos de Paris.

Em tempo – A propósito, em 2020 o Exército adotou A Lei da Selva como livro didático em todas as escolas militares. E comprou para todas as 36 bibliotecas do Exército, da ESG até a Expecex. Foi aí que a edição esgotou. Então descobri que estava sendo vendido no Amazon como raridade por R$ 320.

Aos amigos que desejem adquirir, peço para acessar a loja do site: https://hugostudart.com.br/loja/