Eu me recuso a separar lixo. Pois se trata de autoengano. Primeiro porque, no Brasil, não há reciclagem. O caminhão passa e mistura tudo o que separamos. Minha principal razão, contudo, é de respeito a dignidade do ser humano. No Brasil, incentivam a separação do lixo para facilitar o trabalho dos catadores. É um trabalho degradante, catadores não podem existir, como também não pode o trabalho infantil. Tivemos governos que até incentivaram a criação de cooperativas e sindicatos de catadores. Pagaram galpões de reciclagem manual. Mas foram incapazes de abrir vagas no ensino técnico para esses miseráveis. Assim sendo, só vou separar meu lixo quando algum governo criar usinas de reciclagem na minha cidade, tal qual as usinas do Japão ou da Europa. Com empregos dignos de seres humanos. Até lá, minha parte eu faço plantando árvores. Até agora, 10.247 árvores plantadas.

 

Por Hugo Studart