Por Hugo Studart

Se Jair Bolsonaro e seus seguidores querem que a imprensa relate a tal “Verdade dos fatos” conforme a visão que o presidente tem sobre o que seria a Verdade, então que faça uso da EBC e da TV Brasil — ou ainda do Diário Oficial.

Mas nada espere ou exija da imprensa privada e independente, pois a Liberdade de Expressão e de Opinião garantida no Artigo 5º da Carta Magna, em cláusula pétrea, concede aos jornais e emissoras o direito sagrado de informar como bem entender, segundo a Verdade observada pela interpretação de seus profissionais — ou do patrão. Um bom jornal tem por obrigação ser sempre crítico com o poder político e com os interesses econômicos. Melhor ainda se for um aspersor de ácido sulfúrico contra tudo e contra todos, inclusive contra a oposição.

“Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade” — disse William Randolph Hearst, magnata da Imprensa americana, em frase que restou atribuída a George Orwel:

Se o presidente quiser, pode até incentivar a criação de um novo veículo inspirado no Pravda de sinal invertido. Contudo, bem mais fácil começar a usar e abusar da EBC e da TV Brasil, exorcizando os planos de Guedes de extingui-la sem nada colocar no lugar. Sugiro aparelhar a agência e a emissora com quem bem entender, inclusive com olavetes, exatamente como fez o PT em seus tempos de poder. Seria uma legítima reação gramsciana à hegemonia petista.

A propósito, a agência e a emissora estatal foram criadas pelo mesmo regime militar que o presidente tanto se inspira. Chamava-se Radiobrás e tinha sempre um general no comando pautando notícias sobre o Brasil Grande e o Milagre Econômico. A TV tinha em média 5% de audiência com os militares — e manteve-se nesse patamar até FHC.

Até que Lula mudou no nome da Radiobras para EBC, refundando toda a estrutura. A TV-Lula, como era chamada, tinha uma programação excitante com filmes e novelas de Cuba, Venezuela e Angola. Imediatamente a audiência caiu para menos de 1%, ou seja, traço.

No governo Temer, o então presidente da EBC Laerte Rimoli conseguiu elevar rápido a audiência para 3%, por vezes 5%. Não sei como está hoje. O que sei é que Bolsonaro precisa dar mais atenção à imprensa oficial, que pode nos ser tão séria e útil quando a BBC, se queixar menos da imprensa livre.

Em tempo – lembro ainda o Art. 220 da Constituição:
A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição .
§ 1º Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV.
§ 2º É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.