Um velho amigo, hoje adepto radical de Bolsonaro, pergunta por que devemos respeitar jornalistas? Respondo:

Não apenas jornalistas, mas também médicos, enfermeiros, engenheiros, advogados, militares e, sobretudo, operários, balconistas, garis, coveiros…

Porque são todos Seres Humanos e devemos cultuar o humanismo, o respeito ao próximo e a solidariedade. Porque as cartas semânticas do Iluminismo ainda estão de pé: Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

Porque estamos do lado da Luz e do Bem.

O Mal é banal, ensina Arendt. E devemos fazer o máximo para evitar que as trevas tomem conta de nossa alma, o diabólico (o que divide), o sectarismo, a violência, o desrespeito, o fanatismo político ou religioso…

Porque mesmo com as sutilezas, dilemas e dúvidas que a Vida nos apresenta, existem Luzes e trevas, o Bem e o mal, o lado certo e o errado da História.

E o Inimigo não é humano, mas é algo que habita nas sombras que existem dentro de cada um de nós.

Porque, como bem observa Kierkegaard, a todo momento estamos diante de escolhas, escolhas essas essencialmente humanas. Mas há momentos da Vida (ou da História) que são tantas as possibilidades, tantos os dilemas, que nos vemos como diante de um abismo, sentindo vertigem de liberdade.

Em conclusão, caro Fernando, tomemos muito cuidado para que os abismo escuro não nos trague. Pois será uma viagem sem volta.

Abraços amorosos do velho amigo da escola primária
Hugo Studart