JB é uma usina nuclear de autocrise. Ingerenciavel.

Mas aposto dinheiro que fica até o fim, cercado de bons conselheiros militares. No momento são 4 generais e 1 almirante. Mas JB é intutelável.

Esse Mandetta passa credibilidade, é um excelente comunicador. Antonio Brito também era. Lembram-se dele? JB poderia surfar na popularidade de seu ministro. Deu bobeira.

Mandetta é fogo de palha, logo passa. Está sendo usado por Suas Excelências do Congresso, Supremo e todos os que buscam derreter o poder do presidente. Está sendo usado pelos adversários do chefe e usando o chefe para se dar bem. JB mordeu a isca. Deu bobeira.

Ele também me passava confiança. Até cair a ficha de que seu trabalho de 1 ano à frente da Saúde foi medíocre, na melhor das hipóteses. Também não estou certo de que seria bom seu plano de confinamento geral, liberando aquela droga de quinino só para doentes graves. Acho que está blefando, mas não dá para ter certeza. Quem disser que tem certeza está blefando idem.

JB está administrando muito mal todas essas variáveis. Chegam informações de que há muito não dorme, que tem crise nervosa com freqüência, que está irascível. Incontrolável. Interatuável. Inaconselhável. Mas o povão o adora por ser desse jeito.

Ele anunciou hoje a demissão do ministro da Saúde. Chamou o deputado Terra para o lugar. Sua campanha para pegar o cargo é prometer liberar geral. Não vai dar certo. Mas JB foi obrigado a voltar atrás pelas pressões insuportáveis do Congresso, do Supremo, da opinião pública e, sobretudo, do quinteto de generais. Braga Neto é o novo grilo falante, a voz da consciência. JB está mais fraco. Por um tempo.

Mas logo logo Mandetta vai trabalhar com Doria em SP. Ou ser candidato a prefeito do Rio pelo DEM. É tudo o que ele quer e está provocando JB para ser demitido. Traiu o chefe, é fato.

JB é uma usina de crise. Ingerenciavel. Mas aposto dinheiro que fica ate o fim do mandato.

E quanto a nós? Imprevisível nosso Destino. Sei apenas que a peste do Apocalipse já chegou à Rocinha e à Cidade de Deus. E agora?

Que Deus nos proteja.
(Hugo Studart)