Vocês podem não acreditar, mas eu fui objeto de uma tese de doutorado da UnB. A doutora Maria Mônica Pinheiro Cavalcanti resolveu estudar como emerge a criatividade profissional. Então elegeu dois casos. Minha cabeça foi escarafunchada, meus escritos e minha história de vida, meus impactos emocionais diante os momentos de vida que geraram produções significativas. Dra. Mônica defendeu a tese “O desenvolvimento da criatividade profissional: compreensões possíveis na perspectiva da subjetividade”, na Faculdade de Educação da UnB. Acabo de ser presenteado com um exemplar. Com direito a estojo de marcação com caneta de ponta de pérola.