Diante das polêmicas sobre a construção do Memorial Jango, no lugar do Memorial dos Pracinhas que combateram o nazi-fascismo, fui me informar sobre o papel de João Goulart para Brasília.

1) JK, o Fundador, entregou a Janio/Jango uma cidade em construção.

2) As obras eram quase todas tocadas pelos Institutos de Aposentadoria dos funcionários públicos, IAPI, IAPC, IAPB (Banco do Brasil), etc.

3) No governo Jango, a roubalheira e a má gestão levou quase todos esses fundos à beira da falência.

4) As obras de Brasília foram todas paralisadas, as quadras viraram esqueletos. A tal ponto que discutia-se seriamente a volta da Capital para o Rio.

5) Depois do golpe de 64, o general Castelo Branco resolveu que iria, pessoalmente, consolidar Brasília. Castelo deu ordem para que esquecessem os inquéritos nos institutos, enfiou dinheiro federal e mandou tocar as obras com urgência. Depois mandou recuperar os institutos, hoje chamados fundos de pensão das estatais, novamente à beira da quebradeira por conta da má gestão petista.

Conclusão 1: JK fundou Brasília, Jango (hoje incensado como democrata) quase a inviabilizou, mas foi Castelo (hoje demonizado como liberticida) quem consolidou a Nova Capital. São os paradoxos da História.

Conclusão 2: Janguinho merece ter um lugar de honra na história brasileira. Mas que façam seu Memorial em São Borja. Ou no Rio. Pode ser até em Brasília, que já tem o Panteão do Tancredo.

Mas não ao lado do Fundador JK, como se tivessem a mesma relevância para o Brasil, principalmente para Brasília.